POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES: desafio para o estágio curricular supervisionado
DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i1.2897

Andréa Villela Mafra da SILVA, Ana Maria Severiano de PAIVA

Resumo


Este ensaio tem o objetivo de apresentar experiência desenvolvida, a partir de 2014, no curso Pedagogia (Licenciatura) do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (ISERJ), localizado no município do Rio de Janeiro. A temática central da experiência busca a unidade entre a teoria e a prática na formação de professores para atividades de docência e gestão na educação infantil, anos iniciais do ensino fundamental e disciplinas pedagógicas do ensino médio, através das atividades desenvolvidas no Estágio Supervisionado. A experiência questiona senso comum de que para formar professores é necessário muito mais prática, o que significaria muito mais horas de aulas, de elaboração de planos, de preenchimento de diários de classe.  A experiência fundamenta-se na perspectiva crítico-reflexiva desenvolvida por autores como Paulo Freire, António Nóvoa, Donald Schon, Ken Zeichner e Selma Garrido Pimenta. Dentre os resultados obtidos identificamos que o Estágio ganhou centralidade na formação de professores para além do cumprimento de carga horária e realização de tarefas, tradicionalmente prescritas e burocratizadas, ao trazer aos cursos de licenciatura discussões sobre múltiplos locais de formação; saberes da docência; identidade de professor (a); conceito de aula; tempos, espaços e modos de ser da prática docente. 


Palavras-chave


Formação de Professores. Estágio Supervisionado. Escola. Educação. Saberes da docência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i1.2897

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado em:

 Resultado de imagem para periodicos capes   Latindex    Harvester    Ibict      Pkp

 

 

Sumarios   DOAJ   LivRe   Dialnet

 

EBSCO   Funadesp 

 

Resultado de imagem para crossref

ISSN: 1517-0276

EISSN: 2236-5362