PREVENÇÃO DE LITÍASE URINÁRIA A PARTIR DE TERAPIA DE REPOSIÇÃO DE CITRATOS DE POTÁSSIO E MAGNÉSIO: relato de caso
DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i1.3398

Ronilson Ferreira FREITAS, Débora Ribeiro VIEIRA, Dorothea Schmidt FRANÇA

Resumo


As doenças renais acometem milhares de pessoas com faixa etária economicamente ativa em todo o mundo, gerando danos à economia e tornando-se um grande problema de saúde pública, devido à elevada recorrência e alto índice de complicações, o que gera elevados custos ao sistema de saúde. Independente da etiologia da doença de base, a perda da função renal acarreta desfechos indesejados que podem ser prevenidos ou retardados. A litíase urinária ocupa o terceiro lugar entre as afecções mais frequentes do trato urinário e é definida como a presença de um ou mais cálculos no interior de órgãos ou canais do sistema urinário, desde os cálices renais até a bexiga. Alterações metabólicas como hipercalciúria, hiperucosúria, hipocitratúria, hiperoxalúria, cistinúria e infecção urinária são as principais causas da formação dos cálculos e por isso é importante identifica-las precocemente para não realizar um diagnóstico tardio. Neste sentido, este estudo teve como objetivo relatar o caso de uma paciente com hipercalciúria, hipocitratúria e litíase urinária em que o uso de terapia de reposição de citratos de potássio e magnésio foi importante escolha para a prevenção da formação de litíase renal. A litíase cálcica representa 85% do total de casos e ocorre devido ao aumento do cálcio, ácido úrico ou oxalato urinário e/ou diminuição do citrato urinário. A combinação do aumento do filtrado de cálcio e a diminuição da reabsorção tubular desse íon conduz inevitavelmente a hipercalciúria. Atualmente a suplementação de citrato de potássio e magnésio, que são substâncias capazes de inibir esse processo de cristalização, tem sido muito comercializadas. O citrato tem dois efeitos importantes na prevenção da nefrolitíase devido aos efeitos solubilizante e inibidor da cristalização dos sais de cálcio. Assim, é possível concluir que, como a hipercalciúria e a hipocitratúria são os principais fatores de risco para a litíase renal, a reposição desses íons é de grande importância na prevenção de litíases e da perda da função renal.


Palavras-chave


Nefrolitíase. Hipercalciuria. Hipocitratúria.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i1.3398

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado em:

 Resultado de imagem para periodicos capes   Latindex    Harvester    Ibict      Pkp

 

 

Sumarios   DOAJ   LivRe   Dialnet

 

EBSCO   Funadesp 

 

Resultado de imagem para crossref

ISSN: 1517-0276

EISSN: 2236-5362