A INCIDÊNCIA DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA NOS TRATAMENTOS DE BRAQUITERAPIA E PROSTATECTOMIA RADICAL NO CÂNCER DE PRÓSTATA: ABORDAGEM DE ABRANGÊNCIA EM PROL DA PRÁTICA CLÍNICA

Letícia Fogaça Saud, Gabriela Vaz Campos, Renan Maniezzo, Yasmim Maria Pereira Marques, Laura Ferreira de Rezende

Resumo


A escolha para o tratamento de câncer de próstata não é exclusiva. Os procedimentos são diversos e o ponto de convergência para todos é o mesmo resultado oncológico. No entanto, o que difere nesses tratamentos são os prejuízos que acometem a qualidade de vida após a terapia de escolha. Desenvolveu-se um estudo de revisão visando focar em uma sequela presente em dois tratamentos e que impacta o bem-estar do homem, a incontinência urinária. Foi feita uma comparação embasada em artigos científicos para ver a incidência da incontinência urinária após os procedimentos de prostatectomia radical e braquiterapia. O trabalho em questão foi realizado mediante a seleção e análise de alguns artigos e estudos coerentes com o tema escolhido, os quais foram encontrados nas bases de dados PubMed e Medline. A partir disso, observou-se que pacientes que se submeteram a prostatectomia radical apresentaram maiores índices de incontinência urinaria, com relação a aqueles que se trataram por braquiterapia. Os tratamentos para o câncer de próstata podem apresentar outras sequelas, como intestinais e sexuais. No momento da escolha da intervenção o paciente deve estar ciente dos impactos na sua qualidade de vida.

 


Palavras-chave


Braquiterapia. Prostatectomia Radical. Câncer de Próstata. Incontinência Urinária. Qualidade de Vida.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v16i1.3730

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado em:

 Resultado de imagem para periodicos capes   Latindex    Harvester    Ibict      Pkp

 

 

Sumarios   DOAJ   LivRe   Dialnet

 

EBSCO   Funadesp 

 

  Resultado de imagem para crossref

 

 

ISSN: 1517-0276

EISSN: 2236-5362