ESTUDO FITOQUÍMICO E AVALIAÇÃO DA CITOTOXICIDADE AGUDA FRENTE À ARTEMIA SALINA (LEACH) DE PLANTAS COMERCIALIZADAS EM FEIRA-LIVRE

Richard da Silva Pereira Calazans, Alexandra Luiza Silva Bulian, Lorraynie Oliveira Alves, Karine Amanda Costa, Jeferson de Oliveira Salvi

Resumo


A utilização de plantas medicinais como recurso terapêutico constitui uma prática historicamente difundida e muito comum. As espécies Morus nigra, Morus alba, Cordia ecalyculata e Anadenanthera macrocarpa, popularmente conhecidas como amoreira-negra, amoreira-branca, folia-magra e angico, respectivamente, são amplamente utilizadas pela população brasileira para diversos fins. O presente estudo objetivou realizar o screening fitoquímico e avaliar a citotoxicidade aguda das referidas espécies. Realizou-se a triagem fitoquímica através de testes qualitativos, utilizando-se extratos aquosos. A citotoxicidade foi avaliada por meio da determinação da DL50 frente à Artemia salina, submetendo-se 10 náuplios a extratos aquosos nas concentrações de 16,3 mg/mL; 8,15 mg/mL; 4,075 mg/mL; 2,0375 mg/mL e 1,0187 mg/mL. O bioensaio foi realizado em triplicata e a mortalidade avaliada após 24 h. A triagem fitoquímica revelou a presença de cumarinas, flavonoides e taninos condensados nas amoreiras e folia-magra, estando presente também nesta última triterpenos/esteroides. No angico, revelou-se a presença de antraquinonas, saponinas, taninos condensados e triterpenos/esteroides. No teste de citotoxicidade, encontrou-se DL50 de 2.170 µg/mL para a amoreira-negra, 2.243 µg/mL para a amoreira-branca, 1.805,9 µg/mL para a folia-magra e de 6.401 µg/mL para o angico. Os extratos foram classificados como atóxicos mediante os critérios estabelecidos por Meyer e colaboradores (1982). Identificou-se a presença de diferentes metabólitos secundários associados à algumas das atividades terapêuticas relatadas na literatura. Sugere-se a investigação do potencial biológico das espécies em questão, bem como, a pesquisa sobre a genotoxicidade e a mutagenicidade de modo a contribuir com o uso racional das plantas investigadas.

Palavras-chave


Fitoquímica; Farmacognosia; Fitoterapia; Toxicologia;

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v17i1.5035

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado em:

Resultado de imagem para periodicos capes Latindex Harvester Ibict Pkp

 

 

Sumarios DOAJ LivRe Dialnet

 

EBSCO Funadesp

 

Resultado de imagem para crossref

 

 

ISSN: 1517-0276

EISSN: 2236-5362