PERSISTÊNCIA DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS DE DIREITO CREDITÓRIO DO AGRONEGÓCIO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Daniel Knebel Baggio, Isoé Nícolas Schneider, Maria Margarete Baccin Brizolla, Argemiro Luis Brum, João Serafim Tusi da Silveira, Eduardo Luiz Goulart Knebel

Resumo


O objetivo deste artigo foi de analisar a persistência da rentabilidade, do risco e a relação entre estas duas variáveis, dos fundos de investimento em direito creditório do agronegócio, indústria e comércio. Para tanto, os fundos foram ranqueados a partir das variáveis e classificados de acordo com a superioridade ou não da mediana. Para transformar os resultados em medidas estatísticas utilizou-se os modelos propostos por Malkiel (1995), Brown e Goetzmann (1995) e Khan e Rudd (1995). Os resultados encontrados indicam que há persistência em relação à rentabilidade e ao risco. Ou seja, os fundos que possuem maior rentabilidade em um determinado ano, continuam obtendo rentabilidade maior no ano seguinte. Da mesma forma ocorre com o risco. Os fundos com maior risco em um ano, possuem maior risco no ano seguinte. Porém, existe uma relação inversa entre essas variáveis, ou seja, os fundos que possuem rentabilidade maior, são aqueles que tem um risco menor.


Palavras-chave


Persistência. Rentabilidade. Risco. Fundos de Investimento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v17i2.5098

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado em:

Resultado de imagem para periodicos capes Latindex Harvester Ibict Pkp

 

 

Sumarios DOAJ LivRe Dialnet

 

EBSCO Funadesp

 

Resultado de imagem para crossref

 

 

ISSN: 1517-0276

EISSN: 2236-5362