SUSTENTABILIDADE DOS AGRICULTORES FAMILIARES VINCULADOS A MERCADOS INSTITUCIONAIS NO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA, MATO GROSSO

José Alesando Rodrigues, Santino Seabra Junior, Delmonte Roboredo, Charles Caioni, Junior Miranda Scheuer

Resumo


No Brasil a agricultura familiar proporciona benefícios desde a garantia da soberania alimentar brasileira, a geração de emprego e ao combate ao êxodo rural. Sobre essa ótica o governo federal instituiu Programa de Aquisição de Alimentos e o Programa Nacional de Alimentação Escolar, ambos importantes aos agricultores. Nesta perspectiva objetivou-se estudar a sustentabilidade socioambiental dos agricultores familiares (horticultores) vinculados a mercados institucionais no município de Alta Floresta, Mato Grosso. Os agricultores foram entrevistados (através de questionários semiestruturados) para a obtenção dos Índices de Desenvolvimento Econômico e Social, Capital Social e Humano, Ambiental, Político-Institucional e Organização Familiar que compuseram o Índice de Sustentabilidade Agrícola Familiar. Os agricultores apresentaram uma sustentabilidade ameaçada (0,7524) devido, a carência de assistência técnica, baixo nível de tecnificação do sistema produtivo, a adoção de técnicas de manejo inadequadas para a região. Verificou-se a necessidade de políticas públicas e informações, que amenizem as carências sociais, econômicas e de manejo no espaço rural.


Palavras-chave


Horticultura, Produção hortícola, Desenvolvimento sustentável, Segurança alimentar e nutricional

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v17i2.5277

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado em:

Resultado de imagem para periodicos capes Latindex Harvester Ibict Pkp

 

 

Sumarios DOAJ LivRe Dialnet

 

EBSCO Funadesp

 

Resultado de imagem para crossref

 

 

ISSN: 1517-0276

EISSN: 2236-5362