MORTALIDADE POR AGRAVOS RELACIONADOS AO TRABALHO NO SEMIÁRIDO CEARENSE, 2009 A 2015

Francisco Diogenes dos Santos

Resumo


Objetivou-se realizar análise epidemiológica da mortalidade por agravos relacionados ao trabalho. Para tal, utilizou-se de um estudo epidemiológico, descritivo e retrospectivo, realizado no Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST) de Sobral – Ceará, Brasil, com 79 casos de acidentes de trabalho fatal, notificados pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), entre 1º de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2015.  Os Resultados apontaram que (70- 89%) eram do sexo masculino; (60 – 76,1%) entre 19 a 49 anos; (66 – 83,5) se consideravam pardos; (20 – 25,3%) trabalhavam no setor de construção civil; (23 – 29,25) eram empregados registrados; (50 – 63,3%) dos acidentes aconteceu em via pública. A ocorrência dos Acidentes de Trabalho Fatal denota as condições insalubres nos ambientes ou espaços de trabalho. Faz-se necessário, portanto, que os profissionais e empregadores notifiquem o evento, bem como a fiscalização seja intensificada e propostas de educação permanente e políticas públicas sejam suscitadas.


Palavras-chave


Acidentes de Trabalho Fatais. Mortalidade Ocupacional. Saúde do Trabalhador. Epidemiologia Descritiva.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v17i2.5646

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado em:

Resultado de imagem para periodicos capes Latindex Harvester Ibict Pkp

 

 

Sumarios DOAJ LivRe Dialnet

 

EBSCO Funadesp

 

Resultado de imagem para crossref

 

 

ISSN: 1517-0276

EISSN: 2236-5362