CONTROLE DE QUALIDADE DE QUEBRA PEDRA (PHYLLANTHUS NIRURI L.) COMERCIALIZADAS EM CASA DE PRODUTOS NATURAIS EM UM MUNICÍPIO BAIANO

Elba Brito dos Santos, Noelma Miranda de Brito, Vânia Jesus dos Santos de Oliveira, Lavinia dos Santos Mascarenhas

Resumo


O uso de plantas medicinais com fins terapêuticos é utilizado como uma alternativa para o alívio de dores e doenças pela população no geral. Em virtude desta demanda, a preocupação com a forma de exposição dos fitoterápicos no mercado tornou-se ainda maior. Com base neste contexto o objetivo da pesquisa foi avaliar a qualidade de chás a base de quebra-pedra (P. nirurri L.) comercializados por dois fabricantes em um município baiano, através de parâmetros contidos na Farmacopéia Brasileira (2010) e literatura específica. Foram compradas oito amostras comercializadas por dois fabricantes diferentes em uma casa de produtos naturais. Com essas amostras foram realizados teste de pureza, análise do rótulo, analise do teor de cinzas, determinação do teor de umidade e análise microbiológica de bactérias aeróbicas e fungos filamentosos. Na análise de impurezas as amostras dos chás de quebra pedra dos dois fabricantes foram reprovadas. A maioria das amostras dos fabricantes foram aprovadas quanto ao teor de umidade. Para análise de cinzas a percentagem alcançada estava em desacordo com o recomendado. Em relação aos testes microbiológicos, pode-se verificar que para as análises de bactérias aeróbicas, as amostras dos dois fabricantes estavam fora das especificações recomendadas, porém dentro dos limites aceitáveis para fungos filamentosos. As análises realizadas nesta pesquisa demonstraram que existe pouca influência da legislação brasileira sobre a rotulagem e demais parâmetros avaliados. Não existe a viabilidade com relação ao consumo e a comercialização destes chás, além da necessidade de uma fiscalização por parte dos órgãos competentes.

O uso de plantas medicinais com fins terapêuticos é utilizado como uma alternativa para o alívio de dores e doenças pela população no geral. Em virtude desta demanda, a preocupação com a forma de exposição dos fitoterápicos no mercado tornou-se ainda maior. Com base neste contexto o objetivo da pesquisa foi avaliar a qualidade de chás a base de quebra-pedra (P. nirurri L.) comercializados por dois fabricantes em um município baiano, através de parâmetros contidos na Farmacopéia Brasileira (2010) e literatura específica. Foram compradas oito amostras comercializadas por dois fabricantes diferentes em uma casa de produtos naturais. Com essas amostras foram realizados teste de pureza, análise do rótulo, analise do teor de cinzas, determinação do teor de umidade e análise microbiológica de bactérias aeróbicas e fungos filamentosos. Na análise de impurezas as amostras dos chás de quebra pedra dos dois fabricantes foram reprovadas. A maioria das amostras dos fabricantes foram aprovadas quanto ao teor de umidade. Para análise de cinzas a percentagem alcançada estava em desacordo com o recomendado. Em relação aos testes microbiológicos, pode-se verificar que para as análises de bactérias aeróbicas, as amostras dos dois fabricantes estavam fora das especificações recomendadas, porém dentro dos limites aceitáveis para fungos filamentosos. As análises realizadas nesta pesquisa demonstraram que existe pouca influência da legislação brasileira sobre a rotulagem e demais parâmetros avaliados. Não existe a viabilidade com relação ao consumo e a comercialização destes chás, além da necessidade de uma fiscalização por parte dos órgãos competentes.




DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v1i18.5690

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado em:

Resultado de imagem para periodicos capes Latindex Harvester Ibict Pkp

 

 

Sumarios DOAJ LivRe Dialnet

 

EBSCO Funadesp

 

Resultado de imagem para crossref

 

 

ISSN: 1517-0276

EISSN: 2236-5362