PANORAMA DA INDÚSTRIA DE COSMÉTICOS E EFLUENTES LÍQUIDOS GERADOS

Elisa Dias de MELO, Ann Honor MOUNTEER

Resumo


O Brasil possui posição de destaque no cenário mundial no que se refere ao consumo de produtos cosméticos. Consequentemente, as indústrias do setor apresentam grande importância na economia nacional. A relativa simplicidade de alguns dos processos produtivos está diretamente relacionada ao elevado número de fábricas de cosméticos de pequeno e médio porte. Porém, também nesses empreendimentos há a geração de efluentes líquidos de elevado potencial poluidor. O objetivo desta revisão da literatura foi o de identificar aspectos gerais relacionados a produtos cosméticos, contemplando aspectos produtivos, ambientais e legais, com enfoque na situação do estado de Minas Gerais. Apesar do elevado número de pesquisas publicadas a respeito de contaminantes de preocupação emergente, dentre os quais produtos farmacêuticos e de cuidados pessoais, observa-se um número mais limitado no que se refere ao tratamento de efluentes da indústria de cosméticos, com lacunas ainda a serem preenchidas, tanto no que se refere às técnicas de tratamento quanto à redução da toxicidade. O lançamento de efluentes tóxicos já é regulamentado por legislação federal, mas muito ainda deve ser avançado no que se refere aos aspectos legais e, principalmente, em ações fiscalizadoras por parte dos governos. No levantamento realizado para o estado de Minas Gerais observou-se divergência entre o número de fábricas de cosméticos cadastradas junto à Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) e no órgão ambiental, indicando que muitas provavelmente ainda estão operando ilegalmente, pelo menos no aspecto ambiental.


Palavras-chave


Contaminantes. Processos produtivos. Toxicidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5892/st.v1i1.4512

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


                                           

                        

ISSN 2526-690X