THE HANDMAID’S TALE, DE MARGARET ATWOOD: A METAFICÇÃO HISTORIOGRÁFICA ENTRE AS LINHAS DA FICÇÃO

Lara Luiza Oliveira Amaral

Resumo


Na Poética do Pós-Modernismo (1988), Linda Hutcheon nos apresenta a “metaficção historiográfica” como um novo subgênero, de forma a começarmos a (re)ver nosso conceito de história. É partindo desse conceito que estabeleceremos uma relação entre aquilo postulado por Hutcheon e o romance O conto da aia (1985), de Margaret Atwood. Em seu romance, Atwood divide sua ficção em dois momentos: uma espécie de relato e um pequeno epílogo “científico” sobre a narrativa anterior. Desse modo, pretendemos, neste trabalho, estabelecer pontos de contato entre o jogo narrativo de Atwood com o conceito de metaficção historiográfica de Linda Hutcheon. Além disso, para melhor fundamentar tal aproximação, abordaremos também os elementos que fazem com que o romance de Margaret Atwood possa ser considerado uma distopia, contribuindo para a aproximação com a metaficção historiográfica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN  1807-9717


Indexado em:

                                        Capes    Latindex     Pkp     Ibict     Sumarios
     
 
                                                     DOAJ      LivRe           Dialnet
   
                               EBSCO     Funadesp      
 
 
                                        Harvester