AS CONSTRUÇÕES DE IDENTIDADES POR CARMEN DA SILVA

Lisiane Andriolli Danieli (UFRG)

Resumo


A partir da leitura de Histórias híbridas de uma senhora de respeito (1984), de Carmen da Silva, é possível reconhecer, por meio de reflexões autobiográficas, a construção de diversas identidades. A autora disserta sobre sua vida e sobre ser: mulher, gaúcha, estrangeira, escritora e, por fim, velha. Como maneira de estabelecer as definições descritas por Carmen da Silva, proponho a (re)leitura de O segundo sexo (1949), de Simone de Beauvoir, além de Judith M. Bardwick (1981), a quem Carmen também leu. A brasileira leu e admirou a francesa, tornando ainda mais possível a análise comparativa entre os escritos de ambas. Para análise da obra pelos conceitos sobre narrativa em primeira pessoa e autoficção, serão utilizadas as teorias desenvolvidas por Biruté Ciplijauskaité (1994) e Leonor Arfuch (2010). Assim, Carmen da Silva, em seu último livro, rememora sua vida e proporciona, para quem o lê, noções de identidade para além da autoidentificação evidente entre obra e autora.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN  1807-9717


Indexado em:

                                        Capes    Latindex     Pkp     Ibict     Sumarios
     
 
                                                     DOAJ      LivRe           Dialnet
   
                               EBSCO     Funadesp      
 
 
                                        Harvester