UMA CHAVE PARA A PORTA DOS DESCAMINHOS

Marcelo Gonçalves de França (UFMS)

Resumo


O trabalho é dedicado a retomada de dois textos históricos da Literatura Comparada a partir dos quais são analisados dois contos “Missa de primeiro de ano” e “Uma certa porta”, inscritos na obra Caminhos e descaminhos de 1965 de Bernardo Élis. Na primeira narrativa escolhida a relação com a música será tema, bem como alguns processos de violência históricos e o texto Literatura Comparada de Antonio Candido servirá de tônica inicial. A segunda narrativa, “Uma certa porta”, será relacionada às observações de Tânia Franco Carvalhal no texto O lugar da Literatura Comparada a partir de três conceitos. Como conceitos centrais a estas análises elencam-se: a vocação comparatista delineada por Antonio Candido ao tratar da literatura brasileira; além do vazio, o estar ausente e a consciência do vazio, desenvolvidos por Tânia Franco Carvalhal ao estabelecer paralelo cultural com a Argentina e a região sul do Brasil.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN  1807-9717


Indexado em:

                                        Capes    Latindex     Pkp     Ibict     Sumarios
     
 
                                                     DOAJ      LivRe           Dialnet
   
                               EBSCO     Funadesp      
 
 
                                        Harvester