“UM LUGAR FORA DE LUGAR”: MULHER E DITADURA EM QUARENTA DIAS (2014) E OUTROS CANTOS (2016), DE MARIA VALÉRIA REZENDE

Caroline Peres Martins (UNICAMP)

Resumo


Neste artigo, pretende-se investigar as narrativas Quarenta dias (2014) e Outros cantos (2016), ambas de Maria Valéria Rezende. Inicialmente, contextualiza-se a questão de gênero durante o regime militar no Brasil (1964-1985), a fim de situar a participação das mulheres nas organizações de oposição. Com isso, também se objetiva retirá-las da esfera de invisibilidade ainda presente, em alguma medida, nas narrativas oficiais e na própria representação literária acerca desse passado mal resolvido. Ademais, aponta-se que, mesmo depois de cinquenta e seis anos do golpe, a política continua sendo um espaço reservado aos homens. Nesse sentido, lança-se luz às narrativas de Rezende, nas quais se cede espaço e voz não somente para a mulher envolvida, diretamente, na militância, mas também à figura da esposa, que precisa lidar com as incertezas a respeito da morte do marido e lidar com os traumas deixados pela violência do desaparecimento político.

Palavras-chave


Mulher; Ditadura; Rezende

Texto completo:

PDF

Referências


ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO. Brasil: nunca mais. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

AZEVEDO, Luciene Almeida de. Autoficção e literatura contemporânea. Revista Brasileira de Literatura Comparada, n.12, p. 31-49.

BEAUVOIR, Simone de. Simone de Beauvoir: Por qué soy feminista. [Entrevista televisiva concedida a] Jean Louis Servan Schreiber. Tradução de Gabriel Méndez-Nicolas e Amanda Andrades.

BENJAMIN, Walter. (1936). O narrador. In: ______. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985. (Obras escolhidas, v.1).

BOSCO, João; BLANC, Aldir. O bêbado e o equilibrista. Intérprete: Elis Regina. Essa mulher. [Rio de Janeiro], WEA,1979. 1 LP (ca. 33:56s). Faixa 2 (3:43s).

BRASIL. Comissão Nacional da Verdade. Relatório. Brasília, 2014. (Relatório da Comissão Nacional da Verdade; v.1). Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2019.

COLLING, Ana Maria. 50 anos da ditadura no Brasil: questões feministas e de gênero. Opsis, Catalão, v. 15, n.2, p. 370-383, 19 dez. 2015. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/Opsis/article/view/33836. Acesso em: 25 nov. 2019.

CUNHA, Euclides. Os sertões. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2016.

FIGUEIREDO, Eurídice. A literatura como arquivo da ditadura brasileira. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2017.

FONSECA-SILVA, Maria da Conceição. Memória, mulher e política: do governo das capitanias à presidência da república, rompendo barreiras. IN: TASSO, I.; NAVARRO, P. (Orgs.). Produções de identidades e processos de subjetivação em práticas discursivos [online]. Maringá: Eduem, 2012, p.183-208. Disponível em: http://books.scielo.org/id/hzj5q/pdf/tasso-9788576285830-09.pdf. Acesso em: 25 nov. 2019.

REMARQUE, Erich Maria. Nada de novo no front. Tradução de Helen Rumjanek. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2004.

REZENDE, Maria Valéria. Outros cantos. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2016.

REZENDE, Maria Valéria. Quarenta dias [recurso eletrônico]. Rio de Janeiro: Objetiva, 2014. Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2019.

RIDENTI, Marcelo Siqueira. As mulheres na política brasileira: os anos de chumbo. Tempo social. Revista de Sociologia da USP, São Paulo, v.2, n.2, p.113-128, 1900. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ts/article/view/84806. Acesso em: 25 nov. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN  1807-9717

Editora: Profa. Dra. Cilene Margarete Pereira (UninCor) - Período: 2019-2020

Editor: Prof. Dr. Luciano M. Dias Cavalcanti (UNICAMP) - Período: 2019-2020


Indexado em:

                                        Capes    Latindex     Pkp     Ibict     Sumarios
     
 
                                                     DOAJ      LivRe           Dialnet
   
                               EBSCO     Funadesp      
                               Harvester