O PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO, FORMULAÇÃO E CIRCULAÇÃO DE SENTIDOS NAS PRÁTICAS DE LETRAMENTOS DE (RE)EXISTÊNCIA DO/NO SLAM

Magna Leite Carvalho Lima (UNINCOR)

Resumo


Socialmente, os movimentos de (re)existência tiveram suas forças postas em variadas formas de linguagem. Consequentemente, as práticas de letramentos nas mais diversas culturas e as discussões sobre suas particularidades nos fazem analisar como os discursos circulam a partir da relação que se estabelece entre o lugar e a posição que os sujeitos ocupam no quadro da dinâmica política e econômica. O letramento tomado como prática social pode circular tanto dentro do campo da oralidade como da escrita, dentro ou fora da escola. No caso deste artigo, as práticas que circulam fora da escola são as que mais nos interessam. Dessa forma, nosso objetivo é, a partir de conceitos advindos da análise de discurso (AD) de linha francesa pecheutiana, analisar, especialmente, a constituição, a formulação e a circulação dos chamados letramentos de (re)existência. Além disso, pretendemos observar como os efeitos de sentido e as discursividades funcionam no slam, identificar como são significados os letramentos de (re)existência bem como refletir sobre seus contextos político, econômico e social. Dentro dessa perspectiva, consideramos que a constituição, a formulação e a circulação dos discursos acontecem dentro de uma conjuntura que considera a não transparência da língua e os sujeitos como seres simbólicos, que estão inscritos em uma história para significarem-se.

Texto completo:

PDF

Referências


BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Formação do professor como agente letrador. Contexto. São Paulo, 2010.

CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. In: Vários escritos. 3.ed. São Paulo: Duas Cidades, 1995.

FOUCAULT, M. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, H.; RABINOW, P. (Ed.). Michel Foucault: uma trajetória filosófica para além do estruturalismo e da hermenêutica. Tradução V. P. Carrero. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995. p. 231-249.

GARCÍA-CANCLINI, Néstor. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2006.

GRUPO DE NOVA LONDRES. A pedagogy of multiliteracies – Designing social futures. In COPE, B; KALANTZIS, M. (Eds.) Multiliteracies: Literacy learning and the design of social futures. London/NY: Routledge, 2006 [2000/1996]. P. 9-37.

INDURSKY, Freda. Lula lá: estrutura e acontecimento. Organon, v. 17, n. 35, 2003. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/organon/article/view/30020. Acesso em: 24 de outubro 2017.

NEVES. Cynthia Agra de Brito. “Slam” é voz de identidade e resistência dos poetas contemporâneos. Jornal da USP, 2017. Disponível em: https://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-humanas/slam-e-voz-de-identidade-e-resistencia-dos-poetas-contemporaneos/ Acesso em 26 de outubro de2020

ORLANDI, Eni. P. Exterioridade e Ideologia. In: Caderno de Estudos Linguísticos. Campinas, (30): 27-33, Jan./Jun. 1996. Disponível em:

http://revistas.iel.unicamp.br/index.php/cel/article/view/1683/4228. Acesso em: 15 de julho 2017.

ORLANDI, Eni P. Discurso e Texto. Campinas, Pontes Editora, 2008.

ORLANDI. Eni P. Discurso e leitura. 5 ed. Campinas: Cortez Editora, 2000.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Pontes, 1988.

ROJO, R.; BARBOSA, J. P. In: Multiletramentos e currículo no ensino integral: anos iniciais do Ensino Fundamental. São Paulo: Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, 2015. (Circulação restrita.). Disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/em-revista-coluna-detalhe/1044/sobre-novos-e-multiletramentos-culturas-digitais-e-tecnologias-na-escola.html Acesso em: 04 de agosto de 2019.

ROCHA, Cláudia H. Propostas para o inglês no ensino fundamental I público: plurilinguismo, transculturalidade e multiletramentos. Campinas. 2010. 243f. Tese. Instituto de Estudos da Linguagem. Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2010.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

SOUZA, Ana Lúcia Silva. Letramentos de reexistência: poesia, grafite, música, dança: HIP-HOP. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

TFOUNI, Leda Verdiani. A abordagem histórica do letramento: ecos da memória na atualidade. Revista SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 17, n. 32, p. 23-48, 1º sem. 2013.

THEODORO, Tawane. Poesia Marginal, 2018. Disponível em: https://www.ouvirmusica.com.br/tawane-theodoro/poesia-marginal/ Acesso em: 09 de outubro de 2020.

XAVIER, Igor Gomes. O que é Slam? Poesia, educação e protesto. 2019. Artigo on-line. Disponível em: https://www.profseducacao.com.br/2019/11/12/o-que-e-slam-poesia-educacao-e-protesto/ Acesso em 30 de outubro de 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 1807-8591

Editora: Profa. Dra. Cilene Margarete Pereira (UninCor) - Período: 2010-2020

Editor: Prof. Dr. Luciano M. Dias Cavalcanti (UNICAMP) - Período: 2012-2020


Indexado em:

                           Capes        Latindex       Harvester        Ibict       Pkp
 
 
                                        Sumarios     DOAJ      LivRe           Dialnet
 
                               EBSCO       Funadesp