AS MÚLTIPLAS VOZES DISCURSIVAS E PLURILINGUISTAS ENUNCIADAS NO DOCUMENTÁRIO O SETE ORELHAS: HERÓI BANDIDO

Andréa de Rezende Arantes Furtado (UNINCOR)

Resumo


Neste artigo, pretende-se mapear as diversas vozes discursivas nos recortes de cenas que permeiam o documentário O Sete Orelhas: Herói Bandido, dirigido e montado por Bruno Maia (2012). A história de Januário Garcia Leal2 aconteceu no século XIX, envolvendo os Silva e os Garcia, que se desentenderam devido à divisa de suas terras. Por isso, os sete irmãos Silva esfolaram João Garcia e o deixaram dependurado numa figueira até falecer. O irmão de João Garcia, JGL, vingou a sua morte assassinando cada um dos irmãos Silva e construiu um colar de orelhas com uma orelha de cada uma de suas vítimas. Assim, passa a ser conhecido como O Sete Orelhas. O documentário apresenta relatos de enunciadores e documentos que nos instigam a discutir as relações dialógicas e o plurilinguismo entre os enunciados. Este estudo será de natureza qualitativa, com procedimentos analíticos linguístico-discursivos. Nesse cenário, amparando-nos numa perspectiva Bakhtiniana e em seu Círculo, na qual defende a coexistência de inúmeros enunciadores e narrativas, almejamos
examinar como as diferentes vozes postas no documentário, (re)constroem, a imagem de JGL como “herói” e/ou como “bandido”.
PALAVRAS-CHAVE: O Sete Orelhas; vozes discursivas; plurilinguismo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN  1807-9717


Indexado em:

                                        Capes    Latindex     Pkp     Ibict     Sumarios
     
 
                                                     DOAJ      LivRe           Dialnet
   
                               EBSCO     Funadesp      
 
 
                                        Harvester