A FEMINILIDADE DAS LAVADEIRAS DO VALE DO JEQUITINHONHA

Lazara Aparecida Andrade dos Santos (UNINCOR)

Resumo


Neste trabalho, apresentamos questões ligadas à feminilidade das lavadeiras do Jequitinhonha através da análise do léxico presente nas canções inseridas em três CDs: Batukim Brasileiro (FARIAS, 2001), Aqua (FARIAS, 2004) e Devoção (FARIAS, 2013). Nas canções analisadas vemos traços de cantigas de amigo da Era Medieval. Os poetas medievais eram homens, mas utilizavam o ponto de vista feminino nas cantigas de amigo, que têm como tema o sofrimento por amor, motivado normalmente pela ausência do “amigo” (que neste caso é o namorado). A voz poética é a de uma jovem que relata as suas vivências amorosas, ora num monólogo, ora num diálogo com suas amigas, irmãs ou inclusive com a mãe. Os sentimentos são diversos e incluem a alegria pela chegada do amigo, a tristeza pela sua ausência ou a ansiedade pelo seu regresso, o desejo
de vingança, ciúmes e outros. Os ambientes nos quais acontecem os fatos são o campo, o mar, a casa, a fonte aonde vão procurar água ou o rio onde lavam roupas.
PALAVRAS-CHAVE: cantigas de amigo; jovem; feminilidade; desejo; desencanto

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN  1807-9717


Indexado em:

                                        Capes    Latindex     Pkp     Ibict     Sumarios
     
 
                                                     DOAJ      LivRe           Dialnet
   
                               EBSCO     Funadesp      
 
 
                                        Harvester