CONSTRUÇÃO, DE CHICO BUARQUE: A (OUTRA) HISTÓRIA CANTADA

Moema Sarrapio Pereira (UNINCOR)

Resumo


O Golpe Militar de 1964 inaugurou no Brasil uma ditadura que duraria 21 anos. Neste período, o país conheceu o terror absoluto. O cerceamento da liberdade, o autoritarismo arbitrário e a tortura como forma de punição gravaram tristes momentos na história. Entretanto, uma centelha de esperança sobrevivia por meio da arte. Mesmo com o silêncio imposto pela censura prévia instituída pelo AI-5 em 1968, alguns artistas decidiram não se calar, e continuar a produzir, mesmo correndo riscos. Neste cenário, destaca-se Chico Buarque de Hollanda, cantor e compositor carioca, cuja obra foi perseguida, cerceada, censurada. Para conseguir sobreviver aos desmandos dos militares e continuar produzindo, Chico recorreu a formas de ludibriar a Censura Federal, cantando e contando a história à sua maneira, pela fresta da música popular. Este artigo tem como objetivo analisar o disco Construção (1971), de Chico Buarque, observando-o como estratégia de resistência por meio de um contradiscurso, que revela o Brasil sombrio imposto pelos militares (através da censura e do cerceamento individual) e descortina a propaganda do regime, que afirmava a imagem de um país econômica e socialmente estável.  


Palavras-chave


MPB, Ditadura Militar, Censura Prévia, Chico Buarque, Contradiscurso

Texto completo:

PDF

Referências


CAVALCANTI, Luciano Marcos Dias. Música popular brasileira e poesia: a valorização do “pequeno” em Chico Buarque e Manuel Bandeira. Belém: Paka-Tatu, 2007.

GALVÃO, Walnice Nogueira. MMPB: Uma análise ideológica. Saco de Gatos: ensaios críticos. São Paulo, Duas Cidades, 1976. p. 93-119.

HOLLANDA, Chico Buarque. Construção [CD]. São Paulo: Gravadora Phillips, 1971.

HOMEM, Wagner. Histórias de Canções: Chico Buarque. São Paulo: Leya, 2009.

MATOS, Cláudia. O Samba e seu lugar. Acertei no milhar: Samba e malandragem no tempo de Getúlio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982. p. 25-37.

MENESES, Adélia Bezerra de. Desenho Mágico: Poesia e Política em Chico Buarque. São Paulo: Hucitec, 1982.

PEREIRA, Cilene Margarete. “Rita”, de Chico Buarque (e outras histórias femininas de devastação). Recorte, Três Corações, nº 2, v. 14, p. 1-14, 2017. Disponível em: . Acesso em: 01 nov 2017.

PERRONE, Charles. Chico Buarque: A Intertextualidade dramática e a dramaticidade intertextual. Letras e letras da MPB. Trad. José Luiz Paulo Machado. Rio de Janeiro: Elo, 1988, p.83-141.

ROSA, Luciano. Senhas, Sussurros, Ardis: Cogitações em torno de “Deus lhe Pague”. FERNANDO, Rinaldo de (org.). In: Chico Buarque: o poeta das mulheres, dos desvalidos e dos perseguidos. São Paulo: Leya, 2013. p.193-206.

VASCONCELLOS, Gilberto. Música Popular: de Olho na Fresta. Rio de Janeiro: Graal, 1977.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN  1807-9717

Editora: Profa. Dra. Cilene Margarete Pereira (UninCor) - Período: 2019-2020

Editor: Prof. Dr. Luciano M. Dias Cavalcanti (UNICAMP) - Período: 2019-2020


Indexado em:

                                        Capes    Latindex     Pkp     Ibict     Sumarios
     
 
                                                     DOAJ      LivRe           Dialnet
   
                               EBSCO     Funadesp      
                               Harvester